DE ONDE VEM O MEU SALÁRIO?

É muito comum as pessoas se perguntarem de onde vem o valor estabelecido como salário e, pago mensalmente (normalmente) pelos seus serviços, mais comum ainda não perceberem o composto de remuneração total que recebem.

Estas questões são de responsabilidade dos setores de recursos humanos (RH) das empresas em geral e, ao contrário da noção que muitos têm, são bastante complexas, sendo denominadas gestão de cargos e salários.

Entre as tarefas previstas neste modelo de gestão incluem-se estudos que determinam os níveis hierárquicos de cada empresa; as descrições de todas as atividades previstas para cada cargo; as pesquisas sobre os salários pagos por empresas concorrentes; a criação de tabelas salariais; a criação de políticas salariais; a criação de planos de carreiras; e, também, a análise sobre os benefícios e sobre os incentivos salariais melhor indicados para cada grupo de cargos.

Todas estas atividades dão origem ao que chamamos de plano de cargos e salários (PCS), que, para ser criado, necessita da presença de profissionais altamente capacitados para a sua elaboração. A capacitação das pessoas responsáveis por implantarem este olhar dentro de cada empresa é o que determinará modelos mais ou menos assertivos.

Isto ocorre porque os profissionais que se dedicam a estas atividades precisam ter ampla visão sobre alguns aspectos principais, mais um amplo conhecimento sobre as técnicas a serem utilizadas no decorrer dos processos inerentes às mesmas. Entre estes aspectos principais destacam-se:

  • A importância de se compreender a cultura organizacional do ambiente para o qual o PCS será elaborado;
  • A criação de uma comissão capaz de auxiliar na comunicação interna relacionada ao tema, a fim de que não se espalhem notícias errôneas sobre o trabalho, que poderiam gerar tumultos desnecessários no ambiente organizacional;
  • O conhecimento sobre metodologias disponíveis para a realização de atividades de descrições de cargos e de avaliações de cargos;
  • A realização de pesquisas salariais;
  • A tabulação dos dados colhidos em pesquisas;
  • A sugestão de enquadramentos salariais adequados;
  • A verificação dos benefícios melhor indicados para comporem a remuneração de cada cargo previsto em organograma;
  • A redação das políticas de cargos e salários, que incluem regras para promoções horizontais ou verticais e, de quanto em quanto tempo;
  • A aprovação da alta administração às propostas constantes em cada PCS;
  • A comunicação a todos sobre as formas de progressão salarial.

Somente após cumpridas todas estas etapas é possível transformar a visão das pessoas sobre a dúvida cruel que envolve a remuneração, o que se faz agindo de forma clara e transparente em relação à comunicação sobre as formas de progressão salarial dentro daquele ambiente organizacional.

Quando os indivíduos entendem que nestes ambientes em que estão inseridos os “seus patrões” disponibilizam informações sobre como progredir e, claro, sobre como “ganhar mais”, percebem também que nem tudo é de responsabilidade do empregador, aliás, quando se trata de carreira, muita coisa é de competência exclusiva de cada um de nós.

Ao saber que a empresa em que estamos disponibiliza estas informações é possível direcionarmos nossas buscas e nos planejarmos, a fim de crescermos profissionalmente. E, ao percebermos que tais informações não existem nos locais onde estabelecemos vínculos empregatícios também é possível nos atentarmos para a possibilidade de buscarmos outros empregadores, que se preocupem mais em reter seus talentos.

As perguntas que ficam, portanto, são:

  1. A empresa em que você trabalha apresenta um plano de carreira que lhe deixe ciente sobre como crescer profissionalmente?
  2. Você é um talento a ser reconhecido pelo “patrão”?

*Inscrições abertas para o curso de analista de cargos e salários, com conteúdo criteriosamente selecionado e atualizado de acordo com a reforma trabalhista e as exigências do eSocial.

Ideal para profissionais de RH, de setores administrativos que envolvam atividades de gestão de pessoas, estudantes e demais interessados em obterem conhecimentos sobre o tema.

Marco Antonio Dias Paiva

Patrícia Rezende Pennisi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *